Processo de Fabricação

Os produtos fabricados com a marca PRISMALUX, CRYZAL CLEAN e CLARITY são produzidas pelo processo de injeção em matrizes de aço utilizando as resinas plásticas "PRISPOL (Blenda de PC / PET)" e/ou “Politereftalato de Etileno GLICOL (PET- G Cristal)” 100% VIRGEM CRISTAL. Injetamos Telhas Translucidas e Cubas (Translucidas e em sete cores).

Aditivamos a matéria prima com carga de anti –UV para evitar o amarelamento, o objetivo é manter a máxima transparência durante um longo tempo (pelos ensaios de envelhecimento precoce do IPT, a telha Prismalux fica mais de 10 anos sem alteração de cor). A transparência máxima e por longo tempo é a nossa principal característica, porém, não descuidamos da segurança da sua família, nossos produtos também recebem uma carga de anti-chama para evitar a propagação de fogo ( segurança para o usuário).

As telhas plásticas Prismalux são produzidas com os mais modernos equipamentos e processos existentes no mundo, o que resulta em um produto com características Premium em termos de transparência,qualidade e resistência, sem concorrentes no mercado brasileiro.
Certificadas pelo IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo) quanto à resistência mecânica (compressão e Impacto), as telhas suportam até 136 kg de carga de compressão e 7 joules de impacto, nunca amarelam em função da adição de ANTI-UV, único fabricante no Brasil que faz isso. Como referência uma telha de vidro suporta apenas 42 kg de carga de compressão. É perigosa e, além disso, muito cara. As telhas com material reciclado suportam ainda menos 36 kg de carga e amarelam rapidamente (referência - telha Romana).

TELHAS TRANSLUCIDA CRISTAL PRISMALUX - MELHOR RELAÇÃO CUSTO X BENEFÍCIO

1) Economize energia elétrica;
2) Evite animais de hábitos noturnos no seu sótão (fezes e cheiro de urina);
3) Elimine umidade, fungos e mofo

GARANTIA : TOTAL para defeitos de fabricação e 5 anos contra amarelamento.

Institucional

A blenda PRISPOL - PC/PET possui uma combinação única de ductilidade, transparência ótica, rigidez e resistência. O PRISPOL também apresenta excelentes propriedades mecânicas e de translucides. Blenda de polimérica amorfo e transparente.

As resinas de Policarbonato são produzidas maioritariamente via reação de policondensação, desenvolvido pelo pioneirismo da Bayer Material Science e a GE Plastics (atualmente Sabic Innovative Plastics).
O Policarbonato é inerentemente um dos polímeros que apresenta maior transparência. Ao mesmo tempo o PC pode através de composição adquirir diferentes cores, de cores translúcidas a opacas sólidas. O aspeto estético do Policarbonato é de elevado nível dentro da gama de polímeros de engenharia.

O peso molecular do PC pode ser projetado durante a polimerização para conferir ao policarbonato diferentes Índices de Fluidez (MFI ou MFR). O Índice de Fluidez do PC está tipicamente na gama de 3 to 80 g/10 min. OPolicarbonato é adequado para moldação por injeção e extrusão. O Policarbonato é também adequado para extrusão-sopro.

O Policarbonato pode ser produzido com diferentes características, nova tecnologia retardadora de chama amiga do ambiente, resistência aos riscos, ductilidade, resistência térmica, Resistência às intempéries, biocompatibilidade, qualidade ótica, em cumprimento com rigorosos requisitos da FDA e USP.

O Policarbonato possui elevada resistência aos raios UV e esta pode ser melhorada através da adição de estabilizadores UV. Outros aditivos podem ser dissipadores de calor ou aditivos que permitem melhorar a fratura por tensão ambiental, ESCR (environmental stress cracking). O PC pode ser reforçado com fibra de vidro para aumentar a sua rigidez.

P.E.T. - G - As macromoléculas de PET puro (o chamado homopolímero) constituem-se de repetições da molécula mais simples (mero) de tereftalato de etileno. Nos polímeros comerciais, 130 a 155 repetições desse mero constituem a macromolécula típica de PET.
O PET homopolímero cristaliza-se com facilidade, prejudicando a transparência do polímero. Para se evitar esse problema as condições de processamento têm de ser muito precisas, o que atrapalha a vida do transformador. Por isso, o PET homopolímero não é muito usado. Prefere-se usar copolímeros de PET, os quais se cristalizam mais lentamente, facilitando as condições de transformação para se obter um produto com boa transparência.
As macromoléculas dos copolímeros de PET contém outros meros além do tereftalato de etileno. Ou seja: no homopolímero a macromolécula é constituída pela repetição de um só mero (molécula simples), como se fosse um trem constituído de vagões idênticos. Já no copolímero a macromolécula é constituída pela repetição de mais de um mero, como se fosse um trem constituído por mais de um tipo de vagão.
Alguns copolímeros de PET apresentam macromoléculas formadas pela repetição de dois meros:
• ciclohexanodimetanol e ácido tereftálico;
• etilenoglicol e ácido isoftálico.
Eles estão distribuídos aleatóriamente ao longo da macromolécula, dificultando a cristalização do polímero e favorecendo sua transparência. Este tipo de copolímero é especialmente adequado para moldagem por injeção sob curtos tempos de ciclo, como peças em geral, pré-formas, garrafas com paredes espessas.
Outro copolímero, PET- G, inclui um glicol modificado em suas macromoléculas. Ele é amorfo (não-cristalino), quimicamente resistente e altamente transparente. Seu processamento é fácil. Normalmente ele é produzido na forma de chapas ou filmes extrudados, podendo ser termoformados, serrados, furados e estampados. A moldagem por injeção e extrusão mais sopro também são viáveis.
Fabricação de Telhas TRANSLUCIDAS quando utilizados na sua forma virgem, pois, perde propriedades de transparência e resistência na segunda injeção, neste caso é imprescindível aditivo apropriado anti-UV e anti-chama para garantir a integridade do produto.
Produção de garrafas e frascos por extrusão de parison mai sopro necessitam de resinas de PET com maior resistência mecânica do fundido (maior tempo de escoamento, ou seja, maior melt flow index).
Produção de insumos e componentes utilizados em telhados e afins ( telhas translucidas, etc), pois, o PET – G é o único que mantém as características de transparência e resistência mecânica. Aconselha-se utilizar aditivo apropriado anti-UV em função da exposição constante ao sol.
A produção de filmes e fitas de PET se faz através de extrusão utilizando-se matrizes com fendas; o extrudado passa então por rolos que lhe confere o formato final. Já a produção de fibras é feita através da extrusão do polímero fundido, sendo obtidos filamentos muito finos através de sua passagem por matrizes especiais (spinnerets). Esses filamentos são estirados, torcidos, enredados e plissados para se formar a fibra.
Algumas designações para o PET:
• RECICLADO : Menor resistência mecânica e perda significativa da transparência, somente pode ser utilizado em produtos de baixa exigência a essas propriedades: buchas, tapetes, tecidos e etc.

O PC e o PET são higroscópicos, ou seja, absorve umidade: 0,03%. Normalmente a resina tem de ser desumificada antes de ser transformada, devendo conter não mais do que 0,01% de água. Logo, desumificadores devem ser um equipamento de grande demanda nos transformadores.
As injetoras e extrusoras devem ter sistemas de aquecimento suficientemente potentes para fundir a resina (250-260oC). O formato da rosca deve ser apropriado para a resina, em termos da evolução de seu diâmetro e do passo da rosca ao longo do seu comprimento.
Esta resina, na sua versão amorfa (APET) ou de alta cristalinidade (CPET), é muito utilizada na fabricação de bandejas termoformadas para alimentos. Espumas de PET também podem ser consideradas para esta aplicação, em função de seu baixo peso e alta resistência térmica.
A produção de fibras deve ser restrita a poucos fabricantes, em função da complexidade do equipamento.

• Anti-UV ( evita envelhecimento precoce);
• reforço com fibra de vidro;
• idem, mais modificadores de impacto para tornar a resina mais tenaz;
• idem, mais aditivos anti-chama;
• idem, mais mica;
• idem, mais resina reciclada;
• reforço com fibras longas de vidro;
• aditivos condutores de eletricidade (para que a resina barre radiações eletromagnéticas) mais fibras de carbono para reforço;
Ver também normas ASTM D3220 e D4507.
Componentes de PET para uso externo devem conter aditivos anti-raios ultravioleta. Por exemplo, absorvedores de ultravioleta do tipo benzotriazola, pois afetam muito pouco a cor do plástico, que passa a ter grande estabilidade.
A versão de alto grau de cristalinidade (CPET) contém aditivos para promover a formação de cristalitos na resina (iniciadores, agentes nucleantes).
Obviamente, corantes e pigmentos são utilizados para colorir as resinas. No caso de filmes, podem ser usados aditivos para controlar a rugosidade superficial e, conseqüentemente, o coeficiente de atrito da superfície do filme. Outros aditivos podem ser usados para controlar o grau de transparência e de reflexão superficial.

Os produtos PRISMALUX foram projetadas para atender principalmente a Diretriz Sinat n° 007 ( revisão 1) -. Diretrizes para Avaliação Técnica de Produtos - Telhas Plásticas para Telhado ( Ministério das Cidades) e diversas Normas ABNT, sendo as principais:
. ABNT NBR 13.582, de fevereiro de 1996: Telha tipo Romana: Especificações ( Dimensões e Propriedades Mecânicas e de Durabilidade);e
ABNT NBR 15310 de 30.12.200: Telhas — Terminologia, requisitos e métodos de ensaio.
São as únicas que contém dois suportes para as galgas, evitando deslocamento da telha e seu desprendimento do telhado, atendem normas ABNT quanto ao dimensional e propriedades mecânicas ( Vide certificados .
Tem exclusivo sistema Stay Down para possibilitar a fixação forçada no telhado, o objetivo é ancorar a telha de forma a não possibilitar seu desprendimento quando instalada juntas ( mais de 10 peças). Sistema projetado em Agosto de 2001 pela Prismatic vidros prismáticos de precisão, quem produzia as telhas Prismalux na época.
Essa tecnologia foi cedida pela empresa francesa Société HOLOPHANE Eclairage et Plastic, que era acionista majoritária da Prismatic até 2003.

São Injetadas com PET-G virgem, sem adição de RECICLADOS que prejudicam as suas propriedades de transparência e resistência mecânica, os reciclador não podem ser utilizados , pois, não atendem as normas vigentes no Brasil ( citadas acima). Ainda existe a OBRIGATORIEDADE de que o material seja aditivado com anti-UV para evitar o envelhecimento ( amarelamento), pois, sem este, o produto perde sua função principal e deixa de ser transparente em menos de 6 meses, sendo assim o consumidor FRAUDADO, adquirindo um produto que não atendera a sua necessidade. E o anti-chama para também atender norma ABNT 15.575 para evitar propagação de fogo e atender as solicitações para liberação de licença dos bombeiros / habite-se.

Central de Donwloads

Confira nossa central de arquivos para downloads.

Processo de Fabricação

Veja o processo de fabricação e a qualidade dos materiais.

Sustentabilidade

A PRISMALUX se preocupa com o meio ambiente.

Assistência Técnica

Entre em contato conosco e tire suas dúvidas.